15 de mai de 2012

13/05/2012 - 10, 9, 8 , 7....Foi dada a Largada no Desafio de Campos




O pelotão começa a se movimentar. A Elite dispara enquanto a manada de ciclistas tenta encontrar espaço para tomar ritmo.Aos poucos todos largam, sem acidentes. Ao tomar velocidade, vem o primeiro engasgo no ritmo - um ciclista com pneu furado para no meio do pelotão - todos conseguem desviar. Todo mundo estava com energia acelerando e conquistando espaço para pedalar com mais liberdade - não é fácil pedalar em pelotão!!!!

Aos poucos o pelotão estica, finalmente tenho espaço para aumentar a velocidade e ultrapassar diversas mountain bikes que participavam da prova. Este era um trecho com subidas leves e descidas que permite boa velocidade. Olhei para o cronômetro pela primeira vez - 8km em 17 min - algo perto de 30 km/h de média. Lembrei da Serrinha de Vinhedo com trecho inicial parecido onde fizemos média de 28 km/h no último treino. Estava indo tudo conforme planejado. Sabia que teria que reduzir o ritmo quando o relevo começasse a se tornar mais difícil. Assim o ritmo foi reduzindo a medida que o circuito endurecia. Olhei para o cronômetro pela segunda vez - 25 km em 56 min - até aí tinha percorrido um pequeno trecho de serra acho que ainda não tinha chegado na placa rei da montanha. Lembro que até fiz a conta de que 25 km era metade da prova, e que então se mantivesse o mesmo ritmo poderia finalizar a prova em 2h - pura ilusão.

Começa a Serra e começo monitorar a altimetria, saí de 900 m de altitude para 1750 m no ponto máximo (ou seja, elevação de 850 m - maior que a Pedra Grande em Atibaia mas, com inclinação menor pois o Trecho de Serra era mais longo.(fiz os 15 km de serra em 1h23 min) De toda a forma, enquando pedalava Serra Acima, estava me sentindo muito bem e já tinha a certeza de que conseguiria chegar ao final. Ao final da Serra, resolvi parar nos dois pontos de hidratação da prova - e me reabasteci com o "Accelerade" ainda não consegui beber pedalando - o ideal seria levar o Camelbak para não perder estes preciosos minutos que ao final faria falta. Aguardava a subida do palácio que segundo alguns participantes mais antigos era um ponto mais duro onde muitos ciclistas empurram a bike. Passei pela subida do palácio sem empurrar e continuava sentindo-me muito bem. Um dos membros do staff da prova sinalizou que agora era só descida. Tentei acelerar para melhorar a média mas, havia areia solta, irregularidades no asfalto e resolvi controlar a velocidade e concluir a prova em segurança. A velocidade máxima atingida foi de 64,5 km/h - e a média ficou em 16,5 km/h - um pouco abaixo da média que fazia nos treinos da Serrinha de Vinhedo. A meta era apenas concluir - assim a missão foi cumprida.

3h05 min depois cheguei ao final, com direito a medalha, isotônico e duas bananas. Nelsinho já estava lá com tempo de 2h40 min - foi muito bem. Não dá nem para acreditar que em nosso primeiro treino a bike dele marcava 16 km. A sensação de missão cumprida veio a tona e passou pela cabeça todos os treinos que fizemos na Pedra Grande e na Serrinha de Vinhedo, sempre em companhia do amigo Alberto - nosso personal trainer de ciclismo nazista. kkkkk

Em novembro/2012 tem mais - e aí a meta será reduzir este nosso tempo.